• 04/04/2020

    Novas medidas da Caixa econômica para enfrentar o COVID-19

    Novas medidas da Caixa econômica para enfrentar o COVID-19

    A Caixa econômica anunciou, no dia 19 de março, novas medidas para enfrentar o vírus COVID-19. O principal objetivo é reduzir os impactos em meio a queda da atividade econômica e o índice de produtividade, causados pelas medidas de isolamento.

    Diante da queda da taxa básica de juros (Selic), foi informado pelo banco a redução das taxas de juros de linha de crédito, além de oferecer uma pausa de até 60 dias para contratos, tanto de pessoas físicas quanto de jurídicas.

    Essa pausa foi anunciada pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), e é válida para os cinco maiores bancos do Brasil: Caixa Econômica Federal, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Santander.

    Principais medidas de interesse do setor da construção civil

    Habitação

    • Os clientes terão direito de solicitar a pausa estendida em até duas prestações para contratos habitacionais de pessoas físicas. Essa pode ser feita pelo próprio aplicativo Habilitação Caixa, evitando que clientes saiam de casa e compareçam às agências.

    • Também será possível que as empresas solicitem pausa estendida de até duas prestações em seus contratos habitacionais.

    Empresas

    • A Caixa fornecerá apoio às micro e pequenas empresas, reduzindo juros de até 45% nas linhas de capital de giro e taxas a partir de 0,57% ao mês;

    • Para essas empresas, também será válida a carência de capital de giro e negociação de até 60 dias;

    • Linhas de créditos especiais com até seis meses de carência foram disponibilizadas para empresas que atuam nos setores de prestação de serviços e comércios.

    • As linhas de aquisição de equipamentos e máquinas estão com taxas reduzidas e até 60 meses de pagamento, segundo a caixa.

    A Caixa ainda recomendou a utilização dos canais digitais, como aplicativo, Banking e autoatendimento para minimizar a exposição da população ao Coronavírus.

    E aí, achou as medidas efetivas?