Volume de crédito imobiliário cresce 22% até junho mesmo com pandemia, diz Caixa

Volume de crédito imobiliário cresce 22% até junho mesmo com pandemia, diz Caixa

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, a Caixa Econômica Federal registrou um volume de liberação de crédito imobiliário 22% maior de janeiro a junho, na comparação com o mesmo período do ano passado. “Este é um segmento-chave para o Brasil”, afirmou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Guimarães pontuou ainda que, apesar dos efeitos da crise nos meses de março e abril, a Caixa já sente uma retomada no setor imobiliário. “Já sentimos isso em junho”, disse ele.

As afirmações do presidente da Caixa foram concedidas entrevista coletiva virtual sobre novas medidas do banco para o setor imobiliário.

Registro eletrônico

O vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal, Jair Mahl, afirmou também que o banco passou a fazer registros eletrônicos para contratos de financiamento habitacional desde o início de julho. A medida busca reduzir a burocracia. “Haverá redução do tempo de registro no cartório do contrato habitacional de 45 para 5 dias”, disse Mahl.

Conforme a Caixa, “o registro eletrônico de escrituras para contratos pessoa física de empreendimentos financiados na Caixa será realizado de forma eletrônica com troca de arquivos de dados estruturados entre o banco e o respectivo Cartório de Registro de Imóveis”.
Neste primeiro momento, o registro eletrônico estará disponível em 14 Estados, mas a ideia é expandir para as demais unidades da Federação. Antes do registro eletrônico, o contrato físico precisava ser recebido pelo cartório, o que tornava a operação de crédito mais demorada.

Peguei as chaves do apartamento, e agora?

Peguei as chaves do apartamento, e agora?

Receber as chaves do novo apartamento é um dos momentos mais (...)

Grupo Ribeiro de casa nova!

Grupo Ribeiro de casa nova!

O mês de Novembro será um mês muito especial para o (...)

Principais cuidados ao comprar um imóvel na planta

Principais cuidados ao comprar um imóvel na planta

O mercado está aquecido e são diversas as opções de empreendimentos (...)